APRESENTAÇÃO
MAPA DO SITE
LOCALIZAÇÃO
CASOS CLÍNICOS
CONSULTAS
 


O que é o periodonto?

Em Odontologia, periodonto (do grego “perio” significando ‘em volta de’ e “odonto” significando ‘dente’) é nome dado a todos os tecidos envolvidos na fixação do dente aos ossos (maxila ou mandíbula).

O periodonto é uma estrutura dinâmica composta por tecidos que apóiam e envolvem o dente. Esses tecidos incluem a gengiva, o ligamento periodontal, o cemento e o osso alveolar.

(para maiores detalhes acerca da anatomia e histologia do periodonto o leitor deve clicar em anatomia)

O que é gengivite?

O sufixo “ite” quer dizer ‘inflamação’. Portanto gengivite é a inflamação da gengiva. É causada pela placa bacteriana ou biofilme dental, uma película incolor e pegajosa que se forma continuamente nos dentes. Se a escovação e o uso do fio dental diariamente não forem suficientes para remover esta placa, ela produzirá toxinas (venenos) que podem irritar o tecido gengival, causando a gengivite, A gengivite é, portanto, geralmente causada pela higienização inadequada dos dentes (escovação incompleta e o não uso de fio dental), Se não se proceder à higienização bucal diária e corretamente por meio da escovação e do uso do fio dental, a placa bacteriana se forma e as bactérias nela contidas poderão infeccionar a gengiva causando a inflamação. O principal sinal da gengivite é gengiva extremamente inflamada, sensível, avermelhada, que sangram facilmente. Você pode notar algum sangramento durante a escovação e o uso do fio dental. Neste primeiro estágio da doença, o dano pode ser revertido, desde que os demais tecidos periodontais não tenham sido atingidos.

O que é Doença Periodontal? É a mesma coisa que gengivite? 

Quando a gengivite não é tratada a inflamação avança para os demais tecidos periodontais ocasionando a periodontite. Esta é, portanto, uma complicação da gengivite causando o comprometimento dos demais tecidos periodontais pelo processo inflamatório, que leva à reabsorção do osso que está ao redor das raízes dos dentes, enquanto que, na gengivite, não há dano nos tecidos periodontais além da gengiva.

Repare, então, que o termo Doença Pediodontal (DP) inclui a gengivite (que é a DP nos estágios iniciais, quando só a gengiva foi afetada) e a periodontite (que é a DP nos estágios mais avançados quando os demais tecidos periodontais são afetados).

A figura seguinte ilustra bem essa diferença.



Como posso saber se tenho a Doença Periodontal?

 

O sinal mais característico é o sangramento, mas devemos estar atentos também para: alterações na posição dos dentes, mobilidade dentária, retrações gengivais, retenções de alimento, mudança na cor e textura da gengiva (como mostrado acima), inchaço etc.

 

Ao perceber sangramento durante o uso do fio dental, devo suspender esse procedimento de limpeza?

Não, desde que esteja passando o fio corretamente. O sangramento denota a presença de bactérias nessa região e, dessa forma, é conveniente continuar com o uso do fio na tentativa de removê-las.

 

Existem medicamentos indicados para o tratamento?

Como coadjuvantes da terapêutica, sim. Mas não é possível o tratamento desta doença somente com medicamentos, sejam estes locais ou sistêmicos. A placa bacteriana aderida ao dente tem que ser removida mecanicamente.

 

Qual a causa da Doença Periodontal?

A placa bacteriana aderida ao dente é a única causa desencadeante, porém algumas alterações na gengiva podem estar associadas a causas hormonais, uso de alguns medicamentos, queda de resistência etc.

 

Como o tratamento é realizado pelo cirurgião-dentista?

É feito com a remoção da placa bacteriana aderida através de raspagem e alisamento das raízes dos dentes. Quando os instrumentos de raspagem não atingem toda área da raiz comprometida, as cirurgias são indicadas para facilitar o acesso.  

 

Uma vez tratada a doença, os tecidos recuperam-se integralmente?

Não, sempre ficam seqüelas, com exceção das gengivites. A doença periodontal deixa como seqüelas alterações estéticas como: deslocamento na posição do dente, retração gengival com conseqüente aumento aparente no comprimento do dente (altamente anti-estético) etc. Existem procedimentos cirúrgicos e protéticos que podem minimizar esses defeitos.

 

E de quando em quando se fazem os retornos para a manutenção após o tratamento?

As visitas para manutenção devem assegurar a estabilidade da condição de saúde alcançada com o tratamento e, assim, evitar tanto a progressão da doença como a sua recidiva.  

É possível prevenir esta doença?

A sua prevenção pode ser feita unicamente removendo a placa bacteriana através de limpeza bucal doméstica com fio dental e escova, mais limpezas periódicas feitas pelo dentista. Nos casos mais avançados, recomenda-se uma periodicidade de 3/3 meses e de 4/6 meses para a maioria das pessoas.

FIM DA PARTE 1

PARTE 2

 

 

 

VISITA/CONTATO
AFTAS
AIDS
AMÁLGAMA
ANATOMIA 1
ANATOMIA 2
ANATOMIA 3
ANESTESIA 1
ANESTESIA 2
BIOFILME
CARDIOPATIA
CÁRIE DENTAL
DIABETE
DOR OROFACIAL
EXODONTIA/SISO
ENDODONTIA
FLÚOR/FLUOROSE
GESTANTE
HALITOSE
HEMOFIlIA
HERPES
HIGIENIZAÇÃO
IMPLANTE
LINGUAGEM 1
LINHUAGEM 2
LINKs
NUTRIÇÃO
OCLUSÃO
ODONTOPEDIATRIA
ORTODONTIA
PERIODONTIA
PREVENÇÃO
SELANTE
527966
  

Site Map